facebook google + twitter comunidade cadastre-se    sua conta
Saúde da Próstata

ARTIGOS & CIA

 artigos
 colaboradores
 wikipédia
 busca
 cadastre-se
Associação pela Saúde da Próstata

ACESSOS

envolva-se

 

quem somos
o abc da próstata
prostatite
hiperplasia
câncer de próstata
fui diagnosticado
exames grátis
prevenção
notícias
artigos
cadastre-se
sua conta
solicitar palestra
recomendados
fale conosco

 

pacientes

 

família

 

busca
 

COLABORADORES


O estilo de vida e o risco de morrer do câncer da próstata
por Prof. Gláucio Soares

A prevenção e a cura do câncer da próstata não dependem exclusivamente de tratamento e de medicamentos. O estilo de vida conta. E muito.

Uma pesquisa analisou os dados referentes a mais de 45 mil homens que foram acompanhados durante 25 anos. Definiram seis hábitos considerados importantes. Os homens que tinham cinco ou seis desses hábitos tinham um risco de desenvolver um câncer da próstata letal era 39% menor do que os que não adotaram qualquer dos hábitos, ou adotaram apenas um.

Em outra pesquisa, com 21 mil homens, a redução foi de 47%. São reduções muito altas, sem o desconforto e os efeitos colaterais de muitos tratamentos.

Quais eram os hábitos?

A análise mais detalhada, que pretende ver quais os mais importantes ainda está em processo. Não obstante, alguns dos que foram identificados em estudos menores também estão presentes nessas duas pesquisas:
  1. Não fumar;
  2. Exercitar;
  3. Ter uma relação entre corpo/massa abaixo de 30 (ou seja, ser obeso pesa contra);
  4. Comer peixes (algumas espécies são mais saudáveis do que outras).
Convém lembrar o numero de vidas salvas. Nos Estados Unidos, um em cada seis homens foi ou será diagnosticado com câncer da próstata. Não obstante, muitos desses canceres são lentos e não matam. Requerem mais tempo para matar do que a duração normal da vida. Devido a essa característica, a maioria dos diagnosticados não morre desse câncer – acaba morrendo de outras causas, como problemas cardiovasculares ou outros canceres.

Não obstante, o câncer da próstata é tão comum que, mesmo tendo uma taxa de sobrevivência alta, é o segundo que mais mata naquele país.

Por isso, campanhas que provoquem mudanças no estilo de vida salvam muitos homens. Lembremos que os que levavam uma vida saudável tinham um risco de enfrentar um câncer letal 39% menor, numa pesquisa, e 47% em outra.

Uma das duas pesquisas mostrou que mudar a dieta é importante: os homens com uma dieta saudável – e nada mais – reduziam o risco de câncer letal em 27%; na outra pesquisa, a redução era ainda maior, 48%. O mesmo grupo de pesquisadores concluiu, ao examinar mais de quatro mil e quinhentos homens com um câncer da próstata inicial, que homens cuja dieta incluía, em abundância, óleos vegetais, abacates, nozes e similares viviam mais, tinham menor risco de desenvolver um câncer mais agressivo e de morrer do câncer.

GLÁUCIO SOARES        IESP-UERJ



PROF. GLÁUCIO SOARES