facebook google + twitter comunidade cadastre-se    sua conta
Saúde da Próstata

ARTIGOS & CIA

 artigos
 colaboradores
 wikipédia
 busca
 cadastre-se
Associação pela Saúde da Próstata

ACESSOS

envolva-se

 

quem somos
o abc da próstata
prostatite
hiperplasia
câncer de próstata
fui diagnosticado
exames grátis
prevenção
notícias
artigos
cadastre-se
sua conta
solicitar palestra
recomendados
fale conosco

 

pacientes

 

família

 

busca
 

COLABORADORES


Depressão na Velhice
por Prof. Gláucio Soares

Uma pesquisa, coordenada pela Universidade de Missouri, adiantou nosso conhecimento sobre a depressão.

Foi feita numa população que enfrenta uma barra pesada: 14 mil pessoas, com 65 anos e mais, em lares para idosos. População ideal para pesquisar a depressão entre idosos sem contato imediato com a família. A pesquisa excluiu os que já tinham sido diagnosticados com depressão. A partir daí, contrastaram quem ficava deprimido e quem não ficava. 

A grande descoberta foi como dois fatores aumentavam o risco de depressão: o risco era 69% mais elevado entre os que admitiram que haviam sido mais agressivos, verbalmente.

Outro fator, já conhecido, inclui a redução do exercício autônomo de atividades quotidianas – o crescimento da dependência. Que atividades? Se alimentar, se vestir, se banhar etc. A transferência de cada uma dessas atividades para terceiros aumentava o risco de depressão. Possivelmente, era vista como perda de autonomia e aumento irreversível de característica pouco desejável da velhice, a dependência.

Recomendações?

Cada um tire a sua. Eu tentarei controlar a agressividade e fazer tudo o que posso fazer sozinho, todas as atividades que eram parte do meu quotidiano.



PROF. GLÁUCIO SOARES