facebook google + twitter comunidade cadastre-se    sua conta
Saúde da Próstata

ARTIGOS & CIA

 artigos
 colaboradores
 wikipédia
 busca
 cadastre-se
Associação pela Saúde da Próstata

ACESSOS

envolva-se

 

quem somos
o abc da próstata
prostatite
hiperplasia
câncer de próstata
fui diagnosticado
exames grátis
prevenção
notícias
artigos
cadastre-se
sua conta
solicitar palestra
recomendados
fale conosco

 

pacientes

 

família

 

busca
 

ARTIGOS


Sem medo do tratamento do câncer de próstata

ref.: artigo gentilmente cedido pelo Hospital Israelita Albert Einstein

Um homem recebe a notícia de que tem um câncer na próstata e imediatamente começa a imaginar o tratamento e se depara com dois medos principais: impotência e infertilidade. Mas é preciso ter calma. Apesar de qualquer tratamento deste tipo provocar, sim, alguma alteração sexual e reprodutiva, a qualidade de vida volta com o tempo e muitos dos problemas mais temidos nestes casos têm solução.

De acordo com o urologista do Einstein, Dr. Sidney Glina, é muito importante que o paciente conheça os riscos antes de iniciar tratamento. "Já ouvi muitos homens reclamando que não ejaculam mais depois da cirurgia. Mas isto é claro. Sem a próstata, não há como ejacular. Por outro lado, o orgasmo pode ser mantido na maioria dos casos. Tudo isso deveria ser conversado com o médico antes do tratamento em si", explica. "E é só uma questão de tempo para que a qualidade de vida do paciente volte", afirma.

O câncer de próstata costuma atingir homens a partir de 45 anos e é hoje o mais comum entre os que têm mais de 50 anos. Abaixo, listamos as principais dúvidas dos homens sobre o assunto.

Quais os tratamentos para o câncer de próstata?

Radioterapia e/ou cirurgia de retirada da próstata.

Vou ficar infértil após o tratamento?

Com a retirada da próstata o indivíduo deixa de ejacular, ficando, portanto, infértil. Ele não perde, porém, a sensação do orgasmo. Já com a radioterapia, o indivíduo vai deixando de ejacular aos poucos, mas também continua sentindo orgasmos.

Vou perder a ereção após a cirurgia?

A cirurgia provoca certa lesão na ereção, que pode voltar em boa parte dos casos. Homens acima de 65 anos têm cerca de 30% de chance de voltar a ter o mesmo nível de ereção que tinham antes do procedimento. Aqueles abaixo de 60 anos têm de 60 a 70% de chance.

Como reduzir a perda de ereção com o tratamento?

A cirurgia deve ser tecnicamente bem realizada e espera-se que o tumor não seja grande o bastante para ter afetado os nervos da ereção.

Vou deixar de ter orgasmo após o tratamento?

Apenas 20% dos homens reclamam de alteração na sensação do orgasmo. Mesmo que "a seco", o orgasmo tende a se manter satisfatório para aqueles que não o perderam.

Fiz a cirurgia e fiquei com problema de ereção. Tem como resolver?

Sim. Atualmente o problema da ereção pode ser resolvido por via oral (com comprimidos), por injeções aplicadas diretamente no pênis pouco antes do ato sexual ou até mesmo com a implantação de próteses penianas.

Vou iniciar o tratamento. Poderei ter filhos depois?

Pelos meios tradicionais, não. Mas é possível congelar o sêmen antes da cirurgia ou fazer aspiração de espermatozóides dos testículos (ou do epidídimo) nos homens já operados.

Clique aqui para ver o link.


Hospital Israelita Albert Einstein